CONCURSOS DE OBRAS PÚBLICAS PROMOVIDOS AUMENTA 83,4% ATÉ MARÇO

“Após um período de significativa contracção do mercado das obras públicas, os dados disponibilizados através do portal Base evidenciam uma franca recuperação na actividade deste mercado”, refere a Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP) na sua análise de conjuntura de Abril. O valor dos concursos de obras públicas promovidos até Março aumentou 83,4% e o dos contratos celebrados subiu 105,3%, em termos homólogos, evidenciando uma “franca recuperação” do mercado alavancada pelo Portugal 2020, divulgou a federação sectorial. Segundo a federação, a dinamizar o mercado estão as obras em edifícios públicos, principalmente em escolas, que assumiram uma “importância significativa” ao longo do primeiro trimestre (cerca de 40% do valor total posto a concurso e 39% do valor total dos contratos celebrados até Março). De acordo com a FEPICOP, a alavancar esta expansão dos mercados públicos estão os fundos comunitários provenientes do Portugal 2020. Destacando a contribuição da “esperada recuperação do investimento em construção” para as previsões de crescimento económico e de recuperação do investimento constantes do Programa de Estabilidade, a federação aponta o “acentuado crescimento do licenciamento habitacional” registado nos dois primeiros meses de 2017, com o número de novos fogos habitacionais licenciados a crescer 50% em termos homólogos. “Tanto o investimento público como o investimento privado em construção mostraram evoluções muito positivas nos meses iniciais de 2017, nomeadamente no que concerne a trabalhos relacionados com edifícios, o que permite antecipar um bom desempenho do sector ao longo de todo o ano”, conclui.

COSTA INCENTIVA MUNICÍPIOS A TORNAR-SE “GRANDES DINAMIZADORES DO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL”

O primeiro-ministro António Costa afirmou que os municípios têm de ser “os grandes dinamizadores do desenvolvimento económico e social do seu território”, na assinatura do Pacto Territorial para o Emprego e Desenvolvimento da Marinha Grande 2030. Este pacto é “exemplar daquilo que o País precisa para o seu desenvolvimento” e “um bom exemplo de como é possível casar o conjunto” de vários agentes, disse Costa. O papel dos municípios deixou de ser apenas o de fornecimento de serviços, de responder à necessidade de equipamentos ou de intervir na qualidade do espaço público, acrescenta o primeiro-ministro, sublinhando que os municípios assumem um “papel da maior importância” no desenvolvimento, pelo que “têm mesmo de dispor dos meios e dos recursos necessários para poderem desenvolver plenamente a sua actividade”. O Pacto Territorial para o Emprego e Desenvolvimento da Marinha Grande 2030 surge na sequência do pacto territorial de 1998 que permitiu à Marinha Grande superar a crise, e é o “resultado de um consenso com parceiros estratégicos”, nomeadamente instituições de ensino, associações empresariais e centros de investigação, disse o presidente da Câmara da Marinha Grande, Paulo Vicente. Exemplo da Marinha Grande O primeiro-ministro afirmou que a história da Marinha Grande é exemplar para o desenvolvimento que Portugal precisa. “De uma situação de ruptura e crise, temos hoje um dos centros mais dinâmicos da indústria nacional, com uma taxa de desemprego que é quase metade da taxa de desemprego do País e que é um dos principais centros de exportação”, afirmou António Costa. Mas “a contribuição da Marinha Grande para a economia do País também é da maior importância pelo efeito de fixação de um conjunto de actividades que querem estar cada vez mais próximos dos moldes”, que são uma das principais indústrias do distrito de Leiria. António Costa disse ainda que o concelho emergiu da crise do sector do vidro ao apostar “em fazer diferente e em fazer melhor em vez de apostar em fazer mais do mesmo”. “A contribuição da Marinha Grande para a economia do País é da maior importância pelo efeito que tem de arrastamento e de fixação de um conjunto de actividades que se fixam em Portugal porque querem estar cada vez mais próximos dos moldes”, acrescentou.