EN101. Governo avança com construção da rotunda da Loureira

A Infraestruturas de Portugal lançou hoje um concurso público para a construção da Rotunda da Loureira, ao quilómetro 80,650 da EN101 em Vila Verde. O investimento é de 150 mil euros e a obra deve ficar pronta ainda antes das eleições, em outubro. Em comunicado a que o V teve acesso, é indicado que “esta intervenção visa substituir o atual cruzamento melhorando as condições de segurança e das acessibilidades rodoviárias”. Com preço base de 150 mil euros, será construída uma rotunda com um diâmetro de 30,8 metros que incluí a pavimentação, adequação do traçado à nova geometria da interseção, melhoria e readaptação da sinalização vertical e horizontal, reabilitação do sistema de drenagem existente, através da execução de novos coletores, sumidouros e respetivas caixas de vista, implementação de passeios, ilhas e ilhéus direcionais e reformulação da rede elétrica e da iluminação Pública existente. A empreitada terá um prazo de execução de três meses e, segundo a IP, “a sua concretização irá assegurar um importante reforço ao nível da segurança rodoviária da EN101 em Vila Verde”. Esta era já um desejo antigo da população e da autarquia da Loureira, com Pedro Dias, presidente da junta, a fazer várias diligências para que tal fosse concretizado. José Morais, vereador socialista da Câmara de Vila Verde, congratulou o governo por “cumprir a palavra”. Em comunicado, o candidato autárquica pelo PS fala em “pretensões alcançadas” ao final de 10 anos e em “grande satisfação” pelo início do projeto. “Congratulo-me por uma vez mais constatar que o Governo do Partido Socialista tem contribuído para a resolução dos problemas dos vila-verdenses, cumprindo com as promessas efetuadas”, diz José Morais. “A política sai dignificada sempre que palavra dada é honrada”, finaliza.

Continental Mabor cria mais 95 empregos a pensar na exportação

Investimento de 13,7 milhões de euros durará quase dois anos e vai permitir aumento da exportação de pneus para 64 mercados A Continental Mabor vai reforçar a produção em Lousado, Vila Nova de Famalicão. A fabricante de pneus de capitais alemães prevê investir mais 13,7 milhões de euros em novas linhas de produção, com o objetivo de potenciar as exportações de pneus no segmento de automóveis ligeiros de passageiros. Com esta nova aposta serão criados, ao todo, 95 novos postos de trabalho, 45 dos quais diretos. "A Continental Mabor é uma fábrica virada para a exportação, uma vez que o mercado nacional é muito pequeno para absorver todo o volume de produção. Este novo investimento potencia e fortalece o seu carácter exportador, na medida em que o destino dos seus produtos vai continuar a ser o mercado externo", refere fonte oficial da fábrica da empresa. Praticamente toda a produção em Lousado (98%) acaba no estrangeiro. Os pneus produzidos em Portugal são utilizados em 64 mercados. "Este é um investimento importante ao nível da geração de riqueza e da criação de emprego e que reforçará a performance exportadora de Vila Nova de Famalicão. A visão de ambição com que a Continental Mabor encara o futuro é inspiradora para o país", referiu ontem Paulo Cunha, presidente da Câmara Municipal de Famalicão. O município atribuiu já o estatuto de investimento de interesse público municipal ao projeto da Continental Mabor, que é necessário, por exemplo, para resolver questões relativas ao licenciamento mais rápido de terrenos e a alterações do plano diretor municipal. O investimento prevê a construção de três novas unidades, no complexo industrial de Lousado: a expansão do armazém do produto acabado, uma nave com cerca de 27 mil metros quadrados de área de armazenamento; o aumento, em 7500 metros quadrados, do edifício das áreas de construção e inspeção final dos pneus; e um módulo de construção de pneus para aumentar a capacidade de fabrico de pneus de alta performance. Está ainda prevista a incorporação de "tecnologias inovadoras"e de equipamento de transporte e armazenagem de pneus, vulgo paletes. O investimento deverá demorar 22 meses a ficar concluído e será feito apenas com recurso a capitais próprios. A Continental Mabor assinala que esta aposta "contribui de forma decisiva para a empregabilidade sustentada no longo prazo e para o fortalecimento da coesão e inclusão social ao longo do tempo". Este é o segundo investimento anunciado para Lousado em 2017. Em abril, a empresa de capitais alemães anunciou a expansão da fábrica de pneus ligeiros, avaliada em 100 milhões de euros e que levará à contratação de 50 pessoas. Desta forma, poderá oferecer aos condutores mais tipos de pneus, tanto de verão como de inverno, segundo a empresa. Para este ano está previsto o arranque da produção de pneus agrícolas, conforme adiantou, em abril de 2016, Pedro Teixeira, diretor-geral da Continental Pneus Portugal. A construção desta unidade está avaliada em 50 milhões de euros e vai criar cem novos postos de trabalho. Ao todo, os dois investimentos estão avaliados em 150 milhões de euros e levarão à criação de 200 novos postos de trabalho nos próximos anos. A Continental Mabor teve o seu arranque industrial em 1990 e em dezembro de 2016 contava com 1901 colaboradores. Fechou no ano passado com 830,8 milhões de euros de vendas líquidas e lucros de 225,83 milhões.